Proteção Familiar

Como construir o seu PLANO DE PROTEÇÃO FAMILIAR

O Sr. João Mendonça de 35 anos e sua esposa, Maria de Sousa com 32 anos, com dois filhos, a Joana e o Afonso de 4 e 7 anos, respetivamente, pretendem efetuar um seguro que proteja a sua família e contactaram-nos.

Colocamos as seguintes questões:

1 – O que consideram mais importante? Proteção na falta de Saúde; Proteção para a Família; Poupança e ou Velhice;

2 – Ambos trabalham? Entidade patronal “oferece” alguns benefícios sociais (Seguro de saúde, de vida ou plano de reforma) e em que percentagem contribui cada um para o rendimento do casal?

3 – Habitação: Própria? Com empréstimo? Alugada?

4 – Existe necessidade de poupança a médio curto prazo para: Algum evento próximo? Filhos com interesse/aptidão para alguma atividade que determine necessidade de efectuar desde já alguma poupança?

5 – Além do rendimento da sua actividade profissional, têm outra fonte de rendimento?

Obtivemos as seguintes respostas:

1 – Em primeiro lugar, Proteção para a família; em segundo, Proteção na falta de saúde; em terceiro, Velhice; em quarto, Poupança.

2 – Ambos trabalham e contribuem 50% cada um para o rendimento do casal. A empresa onde a Maria de Sousa trabalha oferece um seguro de saúde extensível a todo o agregado familiar.

3 – Vivem em casa própria tendo efetuado um empréstimo para o efeito.

4 – Não têm nenhum evento próximo e um dos filhos demonstra apetência para a música e gostava de tocar piano.

5 – O único rendimento advém da sua actividade profissional.

O casal respondeu também que o seu rendimento liquido mensal é de 2.700,00€, e que gastam cerca de 500,00€ com cada filho por mês.

Nossa proposta:

PLANO DE PROTEÇÃO FAMILIAR

Um capital que permita aos filhos prosseguir os seus estudos até aos 22 anos em caso de incapacidade de rentabilidade do casal por doença ou acidente:

Joana 4 anos
Capital necessário até aos 22 anos = 500,00€ X 12 meses X (4-22 anos) =108.000,00€
Afonso 7 anos
Capital necessário até aos 22 anos = 500,00€ X 12 meses X (7-22 anos) = 90.000,00€

Um Capital que em caso de falecimento ou incapacidade de trabalho de um dos membros do casal, o outro por um período de 4 anos possa manter o mesmo rendimento que o casal teria se ambos trabalhassem
Rendimento mensal do casal X 12 Meses X 4 anos = 129.000,00€

Soma do capital necessário hoje em caso de fatalidade
=
108.000,00€+90.000,00€+129.000,00€
=
327.000,00€

Como ambos os membros do casal trabalham e comparticipam em 50% no rendimento líquido do casal, o Capital mínimo que devem ter num seguro de vida será de 50% de 327.000,00€=163,500,00€.
Devem ter também um seguro de vida sobre o montante em divida para o Crédito a habitação;

Uma poupança mensal com o objetivo de ter pelo menos um complemento de reforma de 20% do ultimo salário antes da reforma;

Uma poupança flexível para algum evento próximo.

Estes são os pressupostos que neste caso devem orientar as coberturas iniciais de um PLANO DE PROTEÇÃO FAMILIAR.

No caso desta família daqui a 5 anos como já faltará menos tempo para os filhos atingirem os 22 anos deveremos reduzir o custo com a proteção em caso de acidente ou doença e como por outro lado esta família está mais perto da idade de reforma, incrementar a componente poupança.

Para além de outros fatores que não sabemos hoje:
Melhoria ou decréscimo da qualidade de vida;
Aumento do agregado familiar;
Etc…

Por isso o plano de proteção a subscrever, deverá ser flexível, sem encargos ou com encargos mínimos de modo a que o mesmo seja facilmente adaptável a situações futuras.

Contacte-nos e conheça a nossa proposta para o seu plano de PROTEÇÃO FAMILIAR